Campo Grande está em 2º lugar no país entre pessoas com excesso de peso

Nas redes sociais e nas propagandas, o excesso de peso aparece cada vez mais na forma de relato pessoal como obstáculo superado.

Entretanto, os frequentes retratos do antes e depois não refletem a realidade além do mundo virtual. Em números, a pesquisa Vigitel 2016 revela o crescimento de pessoas acima do peso em Campo Grande. A capital é a segunda do País em excesso de peso.

Conforme a pesquisa, 58% dos entrevistados estão acima do recomendado pela Organização Mundial de Saúde.

Na pesquisa da Vigitel de 2014, a Capital aparecia na 7ª colocação do ranking, com 55% da população. Rio Branco (AC), que registrou 60,6%, lidera o ranking, conforme os dados apresentados nessa segunda-feira.

Apesar da escalada no ranking, a Capital apresentou redução quando se trata de obesidade. Antes eram 22% e em 2016, o número caiu para 19,9%, ficando atrás de outras capitais, como Rio Branco (23,8%), Cuiabá (21,9%), João Pessoa (21,7), Rio de Janeiro (20,9%), Porto Velho (21,3%), Maceió (21,1%), Aracajú (20,2%), Fortaleza e Recife (20%).

POR TRÁS DA REDE SOCIAL

O jornalista Renan Lopes Gonzaga, 28 anos, está entre os campo-grandenses que saíram deste índice depois de uma batalha que envolveu parte da adolescência, vida adulta, além de atingir toda a família. A batalha para emagrecer começou as 15 anos, quando pesava 122 quilos. 

Na época, procurou ajuda profissional e perdeu 33 quilos, porém, voltou a engordar e atingiu os 144 quilos.

“Quando comecei a ficar doente, era todo ano algo novo. Tive problemas cardíacos em 2013, adquiri hipertensão em 2014 e me tornei pré diabético em 2015. Sem falar nos traumas e transtornos psicológicos desde a juventude”.

Diante do desenvolvimento de tantos problemas, ele chegou a pedir demissão de um emprego devido ao estresse e as consequências para o organismo.

“Chegou um momento que percebi que meu erro foi fazer regime e não reeducação. Desde jovem sempre visitei nutricionista, mas depois de chegar no meu objetivo eu “relaxava”. Mas dessa vez as doenças me obrigaram a fazer tudo certo”.

ROTINA DE EXCLUSÕES

Atualmente, Renan vive um rotina rigorosa. Eliminou o açúcar da dieta, devido a diabetes, depois o sal, por conta da hipertensão. Além disto, mesmo sem gostar de malhar, passou a treinar com um personal exigente. “Faz toda a diferença para quem tem muita preguiça igual eu. Além de foco e determinação, claro”.

A rotina de Renan contra a balança pode ser acompanhada no perfil que ele mantém no Instagram.


Fonte: Correio do Estado

Recomende nosso site

Ouça ao Vivo