Para evitar fechamentos, PRF 'tranca' policiais nos postos

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Mato Grosso do Sul “confina” policiais nos postos de fiscalização para reduzir o consumo de combustível e evitar o fechamento das unidades.

Tais medidas foram adotadas após o contingenciamento orçamentário de 39% imposto por decreto do governo federal, para que a corporação tivesse o mínimo de condições para operar.

Apesar dos esforços, a segurança segue fragilizada no maior corredor do tráfico de drogas da América do Sul, já que estão suspensas por tempo indeterminado atividades como patrulhamento ostentivo e barreiras, principalmente nas fronteiras com a Bolívia e o Paraguai.

De acordo com o Sindicato Estadual dos Policiais Rodoviários Federais (SINPRF/MS), aqueles policiais que antes faziam rondas nas rodovias hoje cumprem escala nos postos. Além disso, férias foram proteladas para que os plantões não ficassem comprometidos. 

“Este remanejamento do efetivo foi o meio que o Sindicato e a Superintendência Regional encontraram para evitar que os postos fossem fechados. Apesar da redução, o trabalho continua”, explicou Ademilson de Souza Benitez, diretor-presidente do SINPRF/MS.

Quando o corte foi publicado, a expectativa era de que oito dos 18 postos ativos fechassem no primeiro mês - ao todo são 22 no estado.

Entretanto, o trabalho nas unidades segue complicado, porque há determinações para economia de energia, tanto que cerca de 30% da iluminação foi desligada.

*Leia reportagem, de Renan Nucci, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.


Fonte: Correio do Estado

Recomende nosso site

Ouça ao Vivo