Em 60 dias de remodelação, Força Tática muda cenário da criminalidade em Nova Andradina

Luciene Carvalho, Redação Nova News

09/08/2017 às 09:36 • Atualizada em 09/08/2017 às 10:19

Se comparado o antes e a agora, o cenário da criminalidade em Nova Andradina passou a entrar em um novo contexto nos últimos meses. Após chegar a índices alarmantes de furtos e roubos, a cidade volta aos poucos a respirar mais aliviada com a maior sensação de segurança nas ruas.

Um dos fatores responsáveis pela mudança é a remodelação da Força Tática da Polícia Militar há pouco mais de 60 dias. O tenente Nelson Vieira Tolotti voltou a assumir o grupo especial de policiamento, após determinação do novo comandante do 8º BPM (Batalhão de Polícia Militar), tenente coronel Rodrigo Alex Potrich.

Em entrevista ao Nova News, o tenente Vieira apresentou informações detalhadas do mapa criminal em Nova Andradina de janeiro até agora. Como todos sabem, os furtos, que figuram como os crimes mais cometidos no município, passaram a apresentar queda consecutiva nos dois últimos meses, sendo: janeiro 68, fevereiro 96, março 119, abril 111, maio 110, junho 102 e julho 74. “Assumimos no dia 1º de junho e de lá para cá temos nos empenhado na repressão à criminalidade em nosso município”, pontuou o comandante da Força Tática.

Cb image default

Tenente Vieira, que ressumiu a Força Tática há pouco mais de 60 dias, deu entrevista exclusiva ao Nova News - Foto: Luciene Carvalho/Nova News

Na comparação com cidades do mesmo porte de Nova Andradina, Vieira diz que o índice de furtos registrados atualmente passa a ter patamares aceitáveis. “Pelos números hoje apresentados, já neste início de agosto, a perspectiva é de que os índices ainda diminuam mais”.

Detalhados por tipo de ocorrências, os furtos em residência equivalem a 36% do total registrado neste ano: 252. Na segunda posição aparecem os furtos em via urbana com 29% com 200 casos. E, por fim, os furtos em comércio somam 47 casos, o que equivale a 7%. Em relação aos locais onde os furtos mais ocorrem, o destaque fica para a área central, seguida dos bairros Centro Educacional e Cristo Rei.

Qualquer que seja o crime, ele não se pode ser trabalhado apenas de maneira isolada.

Tenente Vieira, comandante da Força Tática

Roubos também mantêm números consideráveis

Agora quando o assunto são os roubos, as atenções policiais são ainda maiores. Trata-se de um crime considerado grave por ser praticado mediante violência ou grave ameaça.

No comparativo mês a mês, os índices mantêm números consideráveis no município. Março foi o mês crítico com 24 casos registrados. Quanto aos demais, janeiro teve 13, fevereiro 13, abril 10, maio 13, junho 8 e julho 12. No detalhamento aparecem 72% dos casos em via urbana, que envolvem situações em que os aparelhos celulares são os favoritos pelos criminosos. Em seguida, estão os roubo em residência com 7,1% (7 casos) e 5 no comércio (5 casos).

Cb image default

Ações de abordagens são realizadas em pontos críticos e em horários específicos nos quatro cantos da cidade - Foto: Divulgação/PM

Conforme exposto pelo tenente Vieira, a primeira semana de agosto dá uma amostra que o mês tende a fechar com número reduzido de casos. “A atuação atual da Polícia Militar, através da reestruturação do policiamento ordinário, a ativação do Serviço de Inteligência e a remodelação da Força Tática, permite uma condição melhor às ações de segurança pública colocadas em prática no município. Sem falar ainda da atuação das demais forças policiais, em destaque para a Polícia Civil que tem trabalhado na elucidação dos crimes que mais preocupam a nossa população”, destacou o comandante.

Como a Força Tática age no combate à criminalidade

Combater a criminalidade é a rotina dos policiais que formam o grupo especial da Polícia Militar, e que trabalham exclusivamente em missões especiais. Pontos críticos têm maior atenção da Força Tática que foca as ações de abordagens também em horários específicos, a partir dos dados do sistema de monitoramento que avalia ponto a ponto o mapa criminal do município. “Os pontos mais críticos são aqueles que chamamos de tensionados, lugares estes onde funcionam em seus arredores pontos de venda de drogas e também onde os crimes são mais praticados”, ressaltou Vieira.

Cb image default

Força Tática é uma das principais referências de policiamento em Nova Andradina e na região - Foto: Luciene Carvalho/Nova News

Pedimos a colaboração da sociedade para que continue denunciando

Tenente Vieira, comandante da Força Tática

A repressão ao tráfico de drogas é uma das principais frentes de atuação da Força Tática. O tenente justifica que os envolvidos nos crimes de furtos e roubos têm ligação direta com o tráfico, “isto porque a maior parte dos objetos subtraídos são encontrados nas bocas de fumo”, disse ele ao alertar as pessoas para evitar expor objetos de valor em via pública. “Adotar alguns cuidados se fazem necessários. Se uma pessoa mal intencionada avista uma pessoa com um celular, por exemplo, não pensa duas vezes antes de praticar um crime”.

Ao fazer uma análise dos primeiros 60 dias em que voltou estar à frente do grupo, Vieira deu ênfase à sistemática de atuação da Força Tática que trabalha com dados a partir do co-relacionamento entre os crimes. “Qualquer que seja o crime, ele não se pode ser trabalhado apenas de maneira isolada. É necessário ser analisado todo um contexto a partir de uma série de situações para saber como, quando, onde e quem são as pessoas que praticam, bem como os motivos que as levam cometer tal fato ilícito, a fim de buscar a causa, e posteriormente prender e punir os envolvidos”, detalhou.  


Fonte: Nova News

Recomende nosso site

Ouça ao Vivo