PMR divulga balanço de operação realizada nas bases de Nova Andradina e Amandina

Imagens: Divulgação/PMR

Cb image default

Na manhã desta segunda-feira (13), a Polícia Militar Rodoviária (PMR) divulgou o balanço da “Operação Gibraltar”, desencadeada pelo Tenente Coronel Luiz Carlos, Comandante do 14º Batalhão de Polícia Militar Rodoviária, na Região das Bases Operacionais de Nova Andradina e Amandina.

A operação foi iniciada as 08h de sexta-feira (10) e encerrada neste domingo (12), sendo que, os trabalhos tiveram abrangência nos municípios de Iguatemi, Naviraí, Ivinhema, Angélica, Deodápolis e Jatei, tendo como alvos principais a rodovia MS-487, entre BR-163 e a divisa do Estado do Paraná (Icaraíma), bem como a MS-489, que liga Naviraí ao Porto Caiuá, e ainda a MS-145, entre Ipezal e a BR-267.

Segundo a PMR, os trabalhos tiveram como objetivo prevenir e reprimir o crime organizado, contrabando, narcotráfico, porte ilegal de armas, roubo de veículos e de cargas, crimes ambientais e demais ilícitos, bem como realizar o policiamento ostensivo rodoviário, visando proporcionar maior segurança aos usuários das rodovias.

Cb image default

No decorrer da operação foram abordados mais de 230 veículos, lavrados 16 autos de infrações, apreendido 01 veículo, realizada a apreensão de 119,5 quilos de maconha. Foram apreendidos ainda diversos tapetes oriundos do Paraguai em razão da não apresentação dos documentos de importação.

Os patrulheiros também atenderam um acidente com duas vítimas em óbito na rodovia MS-276, entre Ivinhema e o Distrito de Amandina, e uma saída de pista de uma caminhonete Toyota Hilux, na MS-141, próximo a Ivinhema, com duas vitimas feridas.

Segundo o comando da PMR, o nome da operação faz alusão ao estreito de Gibraltar, que é uma separação natural entre o Mar Mediterrâneo e o Oceano Atlântico, e entre dois continentes (Europa e África). Neste contexto está a localização geográfica do MS, que liga os países Paraguai e Bolívia, expressivos produtores de drogas que são levadas aos grandes centros principalmente nos estados de Minas Gerais, Goiás, São Paulo e noroeste do Paraná, além de grande quantidades de armas, munições e outros ilícitos.

Cb image default


Fonte: Nova News

Recomende nosso site

Ouça ao Vivo